Oficinas de Infláveis

Já tem um bom tempo que faço essas oficinas. Acho que me interessei por infláveis pouco depois que cheguei dos Estados Unidos – li numa página que um cara fazia infláveis com ferro de passar roupas. Acho que estava precisando de um pouco de leveza…Na semana seguinte fui passear no centro da cidade para descobrir se encontrava algum plástico barato e colorido. Depois de fabricar o primeiro, vi que não era difícil: demora umas duas a três horas para fabricar um, se vc ficar concentrado. Na época ainda estava no mestrado e dava aulas como professor substituto na UFMG, achei que daria uma boa oficina…convidei a Renata Rocha para me ajudar. As oficinas de infláveis são muito divertidas: começam com um trabalho intenso e depois de algumas horas, ligamos os infláveis na tomada, as pessoas ficam entusiasmadas – vão visitar as bolhas uns dos outros, tiram muitas fotos.

No final, prentende-se ensinar uma técnica para transformar um espaço existente através da intervenção efêmera de objetos criados e construídos em poucas horas. Estes objetos atuam modificando sua constituição original tanto no exterior do inflável ( que conforma novos percursos e possibilidades do lugar construído) quanto em seu interior, que gera um novo ambiente de propriedades absolutamente distintas do existente, e novos usos potenciais;

Não tenho um registro sistemático das oficinas – já foram muitas (várias em BH, Porto Alegre, Recife, Petrópolis, Ipatinga) e tenho apenas um amontoado de fotos. Quem já participou e tiver uma boa foto, me envie que eu adiciono aqui. Vou colocar algumas:


Oficina em 2012 – EA UFMG


Oficina em 2007 – SEMANA DE ARQUITETURA PUC


Infláveis emprestados para fotos de moda – Fotos: Gustavo Marx.

A oficina pretende:

– Apresentar técnicas não-convencionais de construção de espaços, a partir de materiais de uso cotidiano, lembrando da história deste tipo de apropriação tecnológica para dentro do campo da arquitetura.

– Estimular a possibilidade de experimentação de uma espacialidade não convencional concebida e fabricada, com pouco investimento financeiro e em tempo curto de execução;

– Propor novas formas de concepção de espaço práticas e viáveis para os alunos de graduação, através da exploração e investigação de técnicas construtivas efêmeras e intuitivas;

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s