Aventuras Arquitetônicas:Subterrâneo

Somos lembrados diversas vezes durante o curso de Arquitetura, que algumas avenidas da cidade foram construídas sobre os rios que estavam ali. A menção, sempre casual e desacompanhada de alguma imagem ou outro fato palpável, é prontamente esquecida. Vez por outra pude comprovar o fato, perto de algum bueiro, de onde sai um ruido de muita água passando lá em baixo. Existe uma rede subterrânea desconhecida da maior parte das pessoas, que corre sob a cidade.
Certa vez ouvi o caso de uma criança que caiu num destes buracos lá no Mangabeiras para sair no Rio Arrudas, mas não consegui verificar a veracidade do fato. Vez por outra, aparece no jornal alguma notícia de alguem que caiu num destes e desapareceu. Essas notícias aparecem com freqüência e viram assunto principalmente na época das chuvas, quando transbordam as aguas levando vidas em locais onde, devido a pretensa engenhosidade de se controlar o meio-ambiente urbano, isso não deveria acontecer.
O que me chamou atenção recentemente foi que topei por acidente com uma série impressionante de fotos de subterrâneos de cidades pelo mundo. Com um pouco de pesquisa, descobri que existem diversos grupos de exploradores de subterrâneos urbanos – redes de esgoto, túneis de metrô desativados, linhas de drenagem de agua pluvial.
Estas comunidades de pessoas extremamente motivadas fazem documentações sistemáticas, com vídeos, fotos e áudio do interior destes corredores infindáveis que percorrem as grandes cidades, ignorados pela grande maioria de seus habitantes.
Existem paisagens inteiras construídas sob nossos pés – espaços vastos estendidos por dezenas de quilômetros, na escuridão, que podem ser grandes corredores de concreto ou verdadeiros labirintos cheios de pequenas passagens abobadadas. Quando afloram à superfície, como no caso do Arrudas, com sua costura de vigas de concreto – se mostram como um grande rasgo urbano inconveniente, separando pedaços da cidade.
A atração que estes espaços provocam talvez esteja ligada ao contraste que existe entre o subterrâneo e a vida acima. Talvez a sensação de se abrir uma pequena claraboia para descobertar um espaço gigantesco, vazio e silencioso abaixo da multidão congestionada dos centros urbanos, seja a motivação para esses novos exploradores. A descrição deles é de encontrar um espaço tranqüilo, diversificado e com sonoridade imprevisível. Alem disto, este tipo de explorador, faz parte de uma tendencia maior de se descobrir espaços urbanos esquecidos e abandonados com um olhar novo, de descoberta.
Os subterrâneos, esgotos, catacumbas sempre foram o espaço arquitetônico para o inconsciente, o incontrolável, para o crime, a loucura. Talvez o subterrâneo urbano seja espaço mais recorrente em filmes de terror e o abrigo mais comum para os criminosos enlouquecidos da ficção.
Construídos com toda a objetividade por engenheiros que buscam sempre as soluções técnicas mais eficientes para a manutenção e estabilidade da vida urbana é impressionante como estes rios da noite se assemelham a labirintos sem fim vindos de algum pesadelo.
Para quem quiser mergulhar no assunto:
http://sub-urban.com/ – Grupo de exploração urbana na Inglaterra
http://www.forbidden-places.net/ Grande banco de dados de fotos com subterrâneos e prédios abandonados da Europa e Australia.
http://www.undercity.org/ Underground Nova Yorque.
http://www.frozencrystal.com/ Subterraneos em Mineapolis.
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s